Garota Sobrevivente

Por um mundo onde celebramos a verdadeira força feminina!

Flores, chocolate e maquiagem? “Not today, Satan, not today”.

Não digo que todas as mulheres, sejam elas cis, brancas, pretas, trans, indígenas, enfim, todos os mais variados arquetipos femininos não possam gostar de ganhar esses mimos, tal como as pessoas que se identificam no gênero masculino, a questão é aqui que tais presentes são carregados de uma simbologia machista e reforçam aquela imagem esteriotipada que as mulheres precisam estar constantemente belas, arrumadas, cheirosas e serem afeminadas. 

Mesmo em pleno 2022, o qual muitas delas possuem três expedientes de trabalho sendo mãe, mulher e dona da casa, ou seja, é necessário ser quase uma super heroína para alimentar essa figura deturpada que durante anos a mídia e nossa sociedade construíram. 

Acredito que a essência feminina é a sua força, garra e resiliência, enxergo o poder feminino muito parecido como é retratado nos filmes de terror, o qual as heroínas passam um inferno durante a trama e mostram para o mundo que com ela ninguém pode, lutando literalmente por sua vida.

Final Girls

É uma honra!

Pra quem é fã de filmes de terror e seus subgêneros já conhece bem esse termo cunhado pela professora de cinema e teórica Carol J Clover que aborda a esse conceito definindo a F.G. como uma personagem inteligente ao ponto de criar estratégias em prol sua sobrevivência, claro que esse arquétipo foi sendo mudado conforme os anos se tornando mais próximo de nossa realidade.

Laurie Strode da franquia Halloween é reconhecida como a primeira dessa categoria representava a boa menina que não bebia, não usava drogas nem aparentava ter interesse em sexo, todavia sua antecessora, Jess Bradford, do filme A Noite do Terror de 1974, que é uma protagonista grávida já mostrava que esse personagem do terror poderia e seria modificado e reestrturado com o tempo, se tornando mais próximo da realidade de cada geração.

Sidney Prrescott é um belo exemplo de como foi necessário atualizar a imagem da Final Girl, pois é uma garota forte, que tem relações sexuais com seu namorado e bem inteligente traçando várias estratégias de como derrotar todos os assasinos presentes nos filmes de Scream, na edição mais recente da franquia vimos uma Sidney mãe, casada e muito mais afiada e pronta para acabar com qualquer vilão que apareça em sua frente.

Com os anos foram passando fomos presenteados com Erin Harson de You Are The Next, Jay de A Corrente do Mal, Tomassin de A Bruxa que subvertem e inovam novamente os conceitos de garotas sobreviventes tocando em um tabu para alguns: a sexualidade feminina.

O ponto aqui é: seja virgem, sexualmente ativa, tímida, festeira, anti-heroína ou boa moça, não tenha vergonha de mostrar tua força, ser mulher é dos melhores elogios que alguém pode ouvir.

E parabéns para todas às mulheres!

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.